sexta-feira, 8 de abril de 2016

As incompatibilidades entre Enéas e a Nova Direita Brasileira.


Figura 1 - Na foto, um dos políticos mais subestimados na história do Brasil

Por Lucas Novaes.

No mês passado, dia 7 de março de 2016 neste mesmo blog, foi postado o texto intitulado “Por que nacionalistas brasileiros não devem apoiar Jair Bolsonaro”, cujo link se encontra aqui: http://resistenciaterceiromundista.blogspot.com.br/2016/03/por-que-nacionalistas-brasileiros-nao.html, e que explica algumas das principais razões pelas quais Bolsonaro é um inimigo dos brasileiros: deseja privatizar a Petrobrás, acredita que o Bolsa Família está criando uma ditadura do proletariado, é amante da ditadura militar entreguista de 1964-1985 e deseja colocar o país ainda mais sob a esfera de domínio norte-americana (erro geopolítico gravíssimo). As visões atuais do deputado pelo estado do Rio de Janeiro estão alinhadas com o discurso liberal conservador anglo-americano, discurso esse que está envenenando a mente de milhares de brasileiros e eliminando qualquer possibilidade de uma oposição real e digna contra a visão de mundo liberal centro-esquerdista hegemônica.

Bolsonaro, que constantemente faz uso de um discurso populista barato para angariar votos, é uma cereja em cima do bolo de problemas e confusões que é a nova direita brasileira: um crescente componente político cujo objetivo é o de acelerar o processo de destruição de grande porção dos conformes ideológicos nacionais e dar lugar a uma americanização acelerada e forçada na mentalidade nacional. Algo que me irrita bastante é o uso que essa direita vem fazendo das falas de Enéas Carneiro contra Luís Inácio “Lula” da Silva para justificar o ódio contra os petistas (a exemplo do que fez o canal do You Tube Ficha Social e figuras como Nando Moura e Maro Filósofo). Tal apropriação é indevida e entenderemos o porquê adiante.

Primeiramente, Enéas era um crítico da grande imprensa e seu sensacionalismo e descaso para com os acontecimentos de importância, chegando a mencionar os exemplos de Veja e a IstoÉ em sua entrevista no programa Roda Viva, em 1994. Nessa mesma ocasião, o finado político acreano afirmou defender um estado “forte, técnico e intervencionista” e criticou as privatizações do modelo neoliberal. Essas afirmações entram em conflito com o ideário libertário presente na frase de efeito “Menos Marx, Mais Mises”. O plano econômico da direita hoje não é nada além do velho entreguismo do PSDB nos anos 1990: privatização das estatais em nome da globalização, só que, desta vez, com uma nova roupagem e novos gurus “intelectuais” a exemplo de Rodrigo Constantino e Kim Kataguiri. 

Em diversas ocasiões, Enéas deixou bem claro que não apoiaria nenhum dos candidatos do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) ou do Partido dos Trabalhadores (PT) na corrida presidencial. A nova direita brasileira, por sua vez, foi rápida em concentrar suas energias na defesa do candidato Aécio Neves, do PSDB, em sua disputa contra Dilma Rousseff nas eleições presidenciais de 2014. Bolsonaro chegou ao cúmulo de dizer que gostaria de ser o vice-presidente de Aécio (algo imperdoável, considerando que os tucanos governam para as grandes empresas, para o capital internacional e para a grande imprensa que tanto aloprou Bolsonaro durante todos esses anos). É uma tremenda falta de amor próprio.


Figura 2 - Resposta de Enéas após ser perguntado se apoiaria Lula ou FHC em um eventual segundo turno (situação que acabou se concretizando)

Para concluir, lembremos que Enéas era um grande orador; um político que prezava pelo uso correto da língua portuguesa e dono de um vocabulário imenso. Também possuía conhecimento em diversas áreas do saber: matemática, física, química, biologia e português. Esse perfil visivelmente se contrasta com o modo de falar truculento e facilmente irritável de Bolsonaro, e também com sua clara falta de consciência histórica, chegando a atribuir aos Estados Unidos o posto de responsável pela vitória dos Aliados contra a Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial (pérola proferida em entrevista recente). Qualquer um com o mínimo de dados históricos a sua disposição e capacidade de análise interpretativa sabe que a União Soviética foi a principal maquinaria militar na derrocada dos nazistas (que perderam mais de 2/3 de seus homens no front oriental).

Caso ainda não esteja convencido de que existem contradições fortíssimas entre os pensamentos de Enéas e os da nova direita liberal conservadora brasileira, peço respeitosamente que leia essa entrevista de 1998 vinculada no jornal Tribuna da Imprensa (RJ) em 09 de fevereiro do mesmo ano e tenha suas dúvidas esclarecidas:
http://brasil.iwarp.com/eneas.html

REFERÊNCIAS:
https://www.youtube.com/watch?v=xltea42NxUU
http://www.rodaviva.fapesp.br/materia/698/entrevistados/especial_eleicoes_eneas_e_lula_1994.htm
http://www.cljornal.com.br/nacional/na-historia-nao-existe-entreguismo-tao-deslavado-quanto-no-governo-fhc/
http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/05/seria-uma-honra-ser-vice-de-aecio-diz-bolsonaro.html
https://en.wikipedia.org/wiki/Eastern_Front_(World_War_II)
http://brasil.iwarp.com/eneas.html


5 comentários:

  1. Estou adorando o blog. Finalmente alguém está falando o que precisa ser falado sobre a hegemonia liberal globalista e a americanização da esquerda e da direita brasileiras. Só faço uma sugestão: a interface do blog, com a foto do Comandante Chávez e mesmo o nome "terceiro-mundista" dão um tom muito esquerdista ao blog que provavelmente irá afastar qualquer pessoa de direita. Não que eu seja contra o Comandante Chávez, muito pelo contrário, ele é um grande ícone da resistência terceira-mundista, porém está disseminado o discurso anticomunista psicótico de Olavo de Carvalho, que coloca o Foro de SP como uma entidade super poderosa que trama a implantação do comunismo no continente, e mesmo a grande mídia alerta contra o "bolivarianismo". Minha dica apenas visa atrair pessoas de direita para o blog, embora eu mesmo tenha dúvidas se isso seja possível em tempos de histeria coletiva.

    ResponderExcluir
  2. Quanto a interface, eu acatei tua sugestão.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Tirso. Sou um dos colaboradores do blogue. Nosso objetivo é fazer análises políticas sobre o Brasil e o mundo sob um ponto de vista multipolar e anti-imperialista Obrigado pelas dicas.

    ResponderExcluir
  4. Então oq vc tem a falar sobre a Venezuela, vamos aos fatos, resistência a que, a tecnologia, a saúde, direita e liberalismo não são a msm coisa, podem ter pontos em comum mas não é a msm coisa.

    ResponderExcluir