terça-feira, 19 de junho de 2018

Considerações sobre o péssimo comportamento de torcedores brasileiros na Copa do Mundo.



Foto – Charge do cartunista Gilmar sobre o episódio aqui abordado.
Recentemente, durante a Copa do Mundo na Rússia, os torcedores brasileiros aprontaram mais uma das suas, dessa vez na cidade de Rostov. Abordaram uma torcedora russa e se aproveitando do desconhecimento da russa para com a língua portuguesa, fizeram-na falar palavras como “buceta rosa” e “essa é bem rosinha”. Um outro grupo de torcedores abordou três russas e igualmente se aproveitando do desconhecimento as fizeram repetir palavras de baixo calão (que aqui não serão reproduzidas). Isso é simplesmente nojento, repulsivo e repugnante. Nós, do Resistência Terceiro-Mundista, repudiamos tais episódios constrangedores e repulsivos e que apenas arranham ainda mais a já péssima imagem que o brasileiro tem fora do país. Mas é bom recordar que essa não é a primeira vez que brasileiros perdem a linha com estrangeiros. Recordemos aqui alguns desses episódios.
No Facebook tivemos os casos dos atores Širo Izumi (Juma Oozora/Change Pegasus em Changeman, Burai/Dragon Ranger em Zyuranger), Sajoko Hagiwara (Rei Tačibana/Dyna Pink em Dynaman, Nefer em Flashman) e Džuniči Haruta (Kanpei Kuroda/Goggle Black em Goggle Five, Rjuu Hošikawa/Dyna Black em Dynaman, MacGaren [originalmente Mad Gallant] em Jaspion, Kazenin Storm em Džiraja), os quais bloquearam e excluíram os brasileiros de seus respectivos perfis depois de tantas marcações em fotos dos trabalhos por eles feitos nos anos 1980 e 1990, postagens em português (idioma esse que eles não entendem) e ainda se comportando como se fossem amigos próximos deles. No caso específico de Sajoko Hagiwara[1], chegaram até a fazer marcações de fotos dela nua de quando ela era jovem (provavelmente da mesma época em que ela participou dos seriados) e comentários em português com mensagens do tipo “Sajoko você continua linda, casa comigo?” e “japa linda, vem para o Brasil casar comigo”. Imagine o quão constrangedor deve ser para ela, que agora já é uma mulher de 55 anos e que desde então parou de adicionar brasileiros em seu perfil no Facebook. Ou mesmo o caso de Tota Tarumi (Džin/Red Flash em Flashman), que chegou a ser chamado de Deus por alguns desses indivíduos. Excetuando-se Džuniči Haruta (que periodicamente faz participações em seriados do gênero Kamen Rider e Super Sentai), todos os atores aqui citados há muito tempo se encontram afastados do meio e não participam mais desses seriados.
Mesmo com atores que até agora não bloquearam os brasileiros como Hiroši Tokoro (nome artístico Šohei Kusaka; Naoto Tamura/Džiban em Džiban, Kamenin Oruha em Džiraja) e Takumi Cucui[2] (Toha Jamaši/Džiraja em Džiraja e Ninninger) eles fazem o mesmo. Mas como Bone Lopes disse em um de seus vídeos sobre o assunto, como tais atores em questão ainda têm algum envolvimento com o meio, eles não têm o mesmo incômodo que têm atores que há muito tempo estão fora do meio (e o curioso é que no perfil de Džodži Nakata, notório por ter interpretado o caçador Kaura em Flashman e o Grande Professor Bias em Liveman e que hoje é dublador no Japão, não vi o perfil dele ser invadido por spams como outros atores). Chegou-se ao ponto de uma fã marcar que era namorada do Džiban (e o próprio aceitou, sem saber do que se tratava). Sobre esse assunto, o canal Resistência Tokusacu lançou vários vídeos a esse respeito, visando orientar o público sobre como se comportar com os atores nipônicos nas redes sociais.
Antes mesmo do Facebook, consta na edição número 55 da revista Neo Tokyo que a autora do mangá Love Junkies, Kjo Hacuki, nos idos de 2005/2006, recebeu vários e-mails de fãs brasileiros em português e assim não entendia nada do que eles falavam.

Foto – Campanha “Fã consciente”, lançada no ano retrasado por vários sites de tokusacu para conscientizar os fãs dos seriados.
Também é digno de nota o ocorrido em 2016 com o ator Tyler James Williams, notório por ter interpretado o Chris no sitcom “Todo mundo odeia o Chris”. Os fãs brasileiros do seriado começaram a encher o perfil do ator estadunidense no Instagram com mensagens contendo frases bem-humoradas do seriado, todas elas em português. A tal ponto que o perfil de Tyler James Williams tornou-se uma verdadeira caixa de spam e que ele perdeu a paciência e deu a seguinte resposta aos fãs brasileiros, aparentemente com a ajuda de um tradutor online: “Brasil eu te amo, eu realmente ‘fazer’, mas se você não parar ‘spamming’ meus comentários estou indo para começar a bloquear você”.

Foto – Fãs brasileiros postando spam no perfil de Tyler James Williams no Instragram.
Mas por qual motivo, razão ou circunstância falar sobre isso? Porque é por causa de coisas como essas que o brasileiro no exterior não raro tem má fama no exterior e que quem nada tem haver com isso literalmente paga o pato da FIESP nessa brincadeira toda (pato esse que, diga-se de passagem, é um símbolo do fato de que aqui no Brasil aqueles que pertencem ao 1% mais rico não pagam impostos e da secular prática de em tempos de crise os donos do poder econômico passarem o ônus da crise para o povão pagar).
A julgar pelo desânimo do povo brasileiro quanto à Copa do Mundo de 2018 e a calamitosa situação que o país vive, os torcedores que para a Rússia foram são sujeitos abastados, de classe média alta para cima, que tem dinheiro para se hospedar em hotéis caros e por vários dias. É o mesmo perfil do tipo de gente que bateu panelas, xingou a Dilma em pleno Itaquerão, foi às ruas com a camisa da seleção brasileira pedir intervenção militar e o impeachment de Dilma Rousseff e que comemorou com fogos de artifício a condenação e a prisão de Lula (e que certamente é o mesmo perfil daqueles que alopraram o perfil dos atores japoneses no Facebook e do Tyler James Williams no Instagram).
A julgar pela maneira como se comportaram diante das mulheres russas, é o tipo da gente que olha a mulher como um mero objeto de satisfação sexual. Por causa de pessoas assim que existem as piriguetes das quais não raro eles se queixam e as feministas das quais eles tanto demonizam. Certamente também é o tipo da pessoa que banca perante a sociedade o “homem de bem”, “homem de família”, entre outros rótulos, mas que em momentos como esse literalmente libera seu lado animalesco. E que, além de não perceberem a relação dialética existente entre eles (semelhante à existente entre Jean Wyllys e Jair Bolsonaro e tudo o que ambos representam no plano político-ideológico), que possuem uma noção bem deturpada de masculinidade, a ponto de achar que são os machões do pedaço só por verem fotos de mulheres nuas em revistas masculinas tais como Playboy, Sexy, Penthouse e outras similares.
E isso derruba com a falácia da tal da perfeição moral da classe média tanto em relação aos pobres quanto em relação aos ricos (os verdadeiros ricos, diga-se de passagem, não sujeitos que pensam que são ricos só por terem certa quantia de dinheiro e/ou morarem em um apartamento em um bairro nobre da cidade) que eles sentem. Isso mostra que não é porque o sujeito de classe média para cima, por ter educação e o chamado capital cultural, sabe se comportar e tem bons modos, ainda mais quando está fora do país. Certamente, trata-se do mesmo tipo de gente que reclamava dos rolezinhos em Shopping Centers há alguns anos. E sintomático do fato de que o Brasil é um país onde as pessoas são criadas não para serem cidadãs, mas telespectadoras, e que esse tipo de comportamento não atinge apenas cidadãos das classes populares e que aqueles que pertencem às classes abastadas igualmente estão sujeitos a serem infectados pelo tipo de cultura de massa que se produz aqui no Brasil, mesmo com todo o capital cultural que eles têm e a reproduzi-los.
Fontes:
Assédio dos brasileiros contra mulheres russas. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=JzuOSE4lzTw&ab_channel=TopChannel
Atores Tokusatsu: falta de respeito! Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=HKkKIOcsHZc&ab_channel=Resist%C3%AAnciaTokusatsu
Change Pegasus exclui fãs brasileiros!! Resistência Tokusatsu. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=1XX299aJBc4&ab_channel=Resist%C3%AAnciaTokusatsu
Coxinhas abusam de mulher russa com linguagem chula e ainda postam o vídeo. Disponível em: https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/coxinhas-abusam-de-mulher-russa-com-linguagem-chula-e-ainda-postam-o-video/
Neo Tokyo nº55. São Paulo: Editora Escala, 2010. p. 27.
Resistência Tokusatsu: Fãs conscientes! União Tokusatsu. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=3S-to0C1Cwc&ab_channel=Resist%C3%AAnciaTokusatsu
Tyler James Williams, de “Todo Mundo odeia o Chris”, se irrita com brasileiros. Disponível em: http://ego.globo.com/famosos/noticia/2016/02/tyler-james-williams-de-todo-mundo-odeia-o-chris-se-irrita-na-web.html

NOTAS:

[1] Leia-se “Haguiuara”. No japonês, assim como em idiomas como o alemão, o polonês, o russo e o mongol, o som da partícula g não muda conforme a vogal seguinte tal como no inglês e nas línguas neolatinas.
[2] Leia-se “Tsutsui”.

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Solidariedade à greve dos petroleiros.




Ontem, dia 30 de maio de 2018, se iniciou a greve dos petroleiros. Em relação aos caminheiros (cuja luta é a nosso ver igualmente legítima, a despeito das contradições internas do movimento), os petroleiros, pelo fato de vivenciarem o problema por dentro e saberem do que realmente se passa, nos parecem mais conscientes do que realmente acontece no nosso país e que a política desastrosa de Temer e Parente na Petrobrás não afeta apenas a gasolina do carro como também o gás de cozinha e outros. Ou seja, que os problemas que a Petrobrás vivencia no presente momento não têm nada a ver com a tal da roubalheira do PT (narrativa essa que ao sistema vigente é extremamente conveniente, diga-se de passagem), e sim com os desmandos de Michel Temer e Pedro Parente na Petrobrás desde que o vampirão neoliberal e sua canalha assumiram o poder.
Segundo postagem feita no dia 26 de maio de 2018 no perfil do Facebook do professor Ricardo Costa de Oliveira, que estuda o fenômeno do nepotismo não apenas na política brasileira como também em outras instâncias de poder e autor do texto “prosopografia familiar da Operação Lava Jato e do ministério Temer”, esse é o perfil político e genealógico de Pedro Pullen Parente:
"Genealogia política de Pedro Pullen Parente, o homem dos apagões elétrico (Ministro das Minas e Energia em 2002) e dos combustíveis (Petrobras em 2018) do PSDB. Filho de Osvaldo Santos Parente, funcionário do Tribunal Superior Eleitoral, corretor de imóveis em Brasília e membro de uma das maiores oligarquias familiares políticas no Piauí e interior de Pernambuco, estados do semiárido dos mais excluídos e desiguais do Brasil. Os tios paternos de Pedro Parente foram Marcos Santos Parente - Deputado Federal, Joaquim Santos Parente – Senador, Emerson Santos Parente – Desembargador. Por onde pesquisemos encontramos parentes em cargos estratégicos de poder no primeiro e segundo escalão, como a cunhada Patrícia Barbosa de Castro Pullen Parente, na Corregedoria do Ministério da Fazenda, em Brasília e destaque em um dos inquéritos da Operação Zelotes. O típico perfil político familiar que desenvolvi no livro “Na Teia do Nepotismo” e cuja teoria do nepotismo explica sociologicamente estas velhas elites da classe dominante tradicional brasileira. Pelo lado materno Pedro Parente é filho de Isabel Francisca Pullen, filha do engenheiro e empresário de origem inglesa Hugh Edgar Pullen e de Lidia Buarque de Macedo, neta do Conselheiro e Ministro do Império dos Negócios da Agricultura, Comércio e Obras Públicas, Manoel Buarque de Macedo, sim, todos da conhecida e antiga família Buarque de origem colonial, parente dos Buarque de Holanda e de muitos outros. Mais uma vez a nossa tese de que o Golpe de 2016-2018 foi conduzido por interesses de velhas elites estatais genealógicas, articulando simultaneamente os poderes executivo, legislativo, judiciário, TCU, mídia e fortes conexões empresariais de rapina, como as conexões indicadas de Pedro Parente com a Bunge, BRF e o banco JP Morgan. O ‘Antigo Regime’ sempre abraçado autoritariamente com as novas e velhas elites empresariais e políticas no saque do Brasil!"
Tal perfil descrito pelo professor paranaense nos mostra que Pedro Parente é um típico representante daquilo que Ariano Suassuna, citando Machado de Assis, chamou de o “Brasil oficial” e daquilo que Jessé Souza chama de a “a elite do atraso”.
Cabe aqui falar a respeito do que se tem feito na Petrobrás (cuja privatização é um velho sonho do tucanato com o qual o vampirão se aliou para derrubar Dilma) no Brasil desde que Michel Temer assumiu o poder após o impeachment fraudulento e vergonhoso de Dilma Rousseff. Desde que Michel Temer assumiu o poder, assumiu o poder na empresa estatal Pedro Parente com os auspícios não só do vampirão como também da Lava Jato.
Após a queda de Dilma foi assinado com os estados metropolitanos (em especial com o imperialismo anglo-americano) uma espécie de tratado informal que eu chamo “o acordo do óleo e combustíveis” (parafraseando a alcunha do tratado de Methuen, assinado entre Inglaterra e Portugal em 1703). Nesse acordo o Brasil, além de parar com o subsídio aos combustíveis, reduziu para menos de 70% da capacidade de refino da Petrobrás (que antes beirava os 100%). Isso fez o país parar de refinar o petróleo em refinarias nacionais e ao mesmo tempo o obrigando a importar gasolina e diesel dos EUA, feitos do petróleo aqui extraído. Como quem agrega valor ao petróleo aqui extraído são os gringos, eles é que ditam o preço dos combustíveis aqui no Brasil e não nós. E como são os gringos que industrializam e agregam valor ao óleo cru, o preço dos combustíveis invariavelmente atrelado ao preço do dólar e a suas flutuações no mercado externo se encontra.
Da mesma forma que Portugal utilizou o ouro brasileiro para cobrir os rombos comerciais advindos do tratado de Methuen, Temer e Parente hoje estão fazendo algo análogo no Brasil com esses aumentos do preço dos combustíveis. Que invariavelmente são um pesadelo para o povo brasileiro, em especial para aqueles que não pertencem ao 1% mais rico da sociedade brasileira. Tudo para cobrir os rombos da balança comercial advindos dessa relação comercial desigual entre o Brasil e os estados metropolitanos.
Por fim, gostaria de deixar uma mensagem de solidariedade aos petroleiros em greve. E é muito louvável da parte de vocês dialogar com os caminhoneiros e a eles esclarecendo sobre o que realmente está acontecendo na Petrobrás e assim livrá-los da alienação e desinformação que a podridão da grande mídia divulga a todos nós (que como vocês devem saber é uma boca do sistema financeiro, o qual por sua vez a patrocina com investimentos em publicidade).
Mas saibam de uma coisa. Pedro Parente, assim como Michel Temer, é como o Capital B (vulgo Abelhão) em relação à organização V.I.L.E em Yooka-Laylee e o Hadler em relação ao rei do mal Vearn em Fly: o pequeno guerreiro (originalmente Dragon Quest: Dai no Daibouken[1]) depois que foi revivido pelo próprio rei do mal. É um sujeito que está lá para fazer as maldades que seus superiores querem. Por trás dele obviamente estão os grandes conglomerados petroleiros internacionais como a Shell e a Chevron, interessadas em abocanhar para si os poços de petróleo do pré-sal. Tais conglomerados receberam uma isenção de impostos da parte do governo Temer de R$ 1 trilhão (ou seja, o equivalente a cerca de 19607 Geddéis). E mais o importante de tudo: não deixem que seu movimento sofra as manipulações que as manifestações de junho de 2013 sofreram nas mãos da Rede Globo (que inicialmente foi contra, mas depois um tempo passou a pautá-las em seu favor). Diga-se de passagem, o ovo da serpente golpista que flagela o país agora foi chocado no julgamento do mensalão e nas manifestações de junho de 2013.
O PETRÓLEO É NOSSO!
FORA TEMER, FORA PARENTE!
NÃO À PRIVATIZAÇÃO DA PETROBRÁS!


[1] Em português Dragon Quest: a grande aventura de Dai.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Džamahirija – o caminho para a salvação (texto traduzido do russo para o português).

Depois da queda do assim chamado “Regime de Kadaffi” a Líbia de uma nação florescente se transformou em uma região decadente com mão de obra barata. Desapareceram todos os apoios sociais da população. Muitos morreram, muitos outros fugiram do país. O capitalismo americano colocou seu governo naquela região para que fosse mais fácil fazer lobby dos interesses do mercado naquele país[1]. Foi construído grande quantidade de fábricas de artigos de consumo de massa[2]. A “Coca Cola” dirige o país[3]. Será que foi por isso que o povo líbio lutou? Será que foi por isso que se levantou diante dos golpes da OTAN? O tempo mostrou que desde 2011, desde o ano da queda da Džamahirija líbia, no país caiu tudo que podia. Cresceu apenas o desemprego e mortalidade[4].
Hoje o novo governo mudou radicalmente o curso. Parecia aos EUA que o governo fantoche da Líbia iria convir a eles. Mas o novo presidente finca o punhal nas costas dos EUA. “Nós devemos voltar ao que vocês levaram!”, manifestou o presidente.  O país se dividiu em dois acampamentos de diferentes medidas. Verificou-se que os partidários da Džamarija são 86% dos cidadãos. Pelo país logo em seguida ocorreram comícios de apoio ao presidente. Os experts consideram que as chances de a Džamahirija voltar são bem remotas, a OTAN não permitiria o retorno à arena política de um grande jogador[5].
Pelo Povo!

Resultado: Apoio do povo — 75% +0,5% por dia, Risco de atentado ao chefe do Estado +20%, Guerra Civil — inevitável.
Fontes:                                                                              
Almeida, José Gil de. A Líbia de Muammar Kadafi. Edição do Jornal Água Verde: Curitiba, 2017.
Džamahirija: put’ k spaseniju (em russo). Disponível em: https://vk.com/@realworld_events-dzhamahiriya-put-k-spaseniu

NOTAS DE FIM:
1 - Esse é o mercado “impoluto” e “livre de corrupção” do qual os liberais tupiniquins (entre eles Jair Bolsonaro e o MBL) tanto falam e que acham que o país precisa de mais mercado e menos Estado. Em que mundo será que esses sujeitos vivem, a ponto de achar que não há corrupção no mercado e sua “mão invisível”? Lembrando que a prática do lobby em um país como os EUA é legalizada. E é a graças a esse “livre mercado” e suas práticas que o preço da gasolina tem crescido no Brasil desde que Michel Temer e sua quadrilha assumiram o poder (e não por causa da tal da “roubalheira do PT” na Petrobrás de que os manifestoches tanto falam). Isso de que o texto fala trata-se ou não de um grande esquema de corrupção? Pois para o meu entendimento é e da grossa.
2 - Percebe-se que após a queda de Kadaffi o que houve na Líbia foi um saque, uma hipoteca do país por países como os Estados Unidos e a França, similar ao que se verifica no Brasil desde que Dilma Rousseff foi apeada do poder. Com a diferença que enquanto para o saqueio da Líbia e do Iraque foi preciso intervenções militares armadas com a mobilização de grandes e bem armados exércitos, no Brasil foi apenas preciso a ação de uma quinta-coluna por meio de um processo de guerra híbrida iniciada a partir das manifestações de junho de 2013. Cabe aqui mencionar a respeito dos negócios da Odebrecht na Líbia, que incluía a construção do aeroporto de Tripoli e uma rodovia ao redor de Tripoli, ambos abandonados após os bombardeios da OTAN à Líbia em 2011. A mesma Odebrecht hoje se encontra sob a mira da Farsa Jato (que com empresas como a Odebrecht, a OAS e a Petrobrás fez uma tábua rasa que em países como os EUA que os juízes e procuradores a coordenam tanto admiram não seria admitido).
3 - José Gil de Almeida conta na página 25 de seu livro a respeito da Líbia de Kadaffi que no tempo de Kadaffi não tinha Coca Cola no país norte-africano. O editor do site Marcha Verde conta em seu livro que sempre que brasileiros e estrangeiros pediam a bebida em restaurantes e bares recebiam no lugar a bebida Kaltar, uma bebida similar à Coca Cola fabricada na Líbia e que durante o período de 1969 a 2011 foi proibida a instalação de indústrias da Coca Cola no país por considerar se isso como ingerência externa e uma dependência alimentar, além do papel da empresa no financiamento de golpes militares na América Latina e em outros países.
4 - É óbvio que os EUA, a França e a Inglaterra não fizeram todo o investimento que têm feito na Líbia desde 2011 (e talvez mesmo antes) para depois entregar de mão beijada o poder para forças políticas ligadas à velha ordem. Não querem, por exemplo, que venha alguém ligado ao pensamento político de Kadaffi e resolva fazer o que ele fez em vida, incluindo a nacionalização do petróleo líbio e outras riquezas da nação norte-africana e expulsar do território líbio as diversas bases militares de potências metropolitanas (incluindo a base de Maatinga, na época a maior base militar norte-americana no exterior). Ou mesmo tirar da gaveta o projeto do coronel Kadaffi de uma União Africana e de uma moeda africana única baseada no dinar de ouro, no que colocaria um fim à mamata das velhas metrópoles na África (assim como tocar no calcanhar de Aquiles da hegemonia norte-americana no globo, o dólar enquanto moeda de troca internacional). Isso para não falar do fato de que uma nação como a Líbia, dentro do sistema de poder vigente no mundo atualmente, entra apenas como fornecedor de matéria prima para as nações hegemônicas e metropolitanas.
5 - Como nós sabemos, a Líbia sob Kadaffi chegou a ser país africano com o maior IDH, chegando a superar inclusive algumas nações da Europa. Essas são as maldades de Kadaffi a seu povo: não havia conta de luz na Líbia, o preço da gasolina era o equivalente a cerca de R$ 0,35, recém-casados recebiam do governo o equivalente a US$ 50 mil para comprar casa e iniciar vida familiar, créditos bancários dos bancos estatais eram sem juros, o governo fornecia uma casa própria ou apartamento para cada família, agricultores iniciantes recebiam terra, casa, equipamentos, sementes e animais de graça, entre outras. Isso para não falar da Construção do Grande Rio Artificial, que transportava água dos lençóis subterrâneos do rio Nilo para as cidades e agricultura e assim irrigando parte do deserto. Inaugurado em 14 de julho de 1991, era chamado de a “oitava maravilha do mundo” pelos líbios e foi destruído em 2011 por meio de bombardeios ordenados pela OTAN. Hoje, sabe-se que em solo líbio há leilões de escravos negros.


terça-feira, 8 de maio de 2018

O caso Fifagate.



Foto – Alguns dos envolvidos do Fifagate.
Pouco antes de ser preso, Anthony Garotinho postou no You Tube um vídeo de 22 minutos de duração onde fala a respeito do caso Fifagate e o envolvimento da Rede Globo nesse esquema. Mas, antes de tudo, por que falar a respeito desse caso em especial no presente momento? Como dito no artigo retrasado, o que mais me enoja a respeito do caso Lula e sua prisão é ver o ex-presidente está sendo preso (de onde talvez nunca mais volte vivo, diga-se de passagem) e ao mesmo tempo seus algozes, que são envolvidos em todo tipo de falcatrua e esquemas escusos, bancando as virgens do cabaré perante a população. Isso é ou não é fazer o povo de otário? A meu ver, sim. Um dos algozes de Lula é a Rede Globo. A mesma Rede Globo que foi um dos algozes de Vargas e Jango anteriormente. E uma das falcatruas em que a Rede Globo está envolvida é o Fifagate. Também quero falar a respeito desse caso para que esse (assim como outros casos envolvendo seus algozes que serão abordados em futuros artigos) não caia no esquecimento da população.
Como Jorge Kajuru disse em entrevista concedida ao repórter Roberto Cabrini no ano de 2010, “futebol é negócio”. É um negócio que movimenta quantias bilionárias, talvez trilionárias. Na Europa, vemos casos de clubes que hoje são de propriedades de grandes multimilionários e oligarcas, como o caso de Chelsea, cujo proprietário é Roman Abramovič, um dos muitos oligarcas que emergiram da privataria da Era Jel’cin na Rússia e que foram de lá enxotados por Vladimir Putin. Outro desses oligarcas, o finado Boris Berezovskij, era o verdadeiro dono da MSI (sendo o iraniano Kia Žurabčian um de seus laranjas) com a qual o Corinthians se envolveu entre 2004 a 2007 (parceria esse que terminou com o Corinthians sendo rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro e com uma dívida de R$ 90 milhões no mesmo ano de seu término). O australiano Rupert Murdoch tentou comprar o Manchester United em 1999, só que sem sucesso. O Fullham teve como proprietário o egípcio Mohamed al-Fayed (o pai de Dodi al-Fayed, o namorado de Lady Di à época de sua morte) entre 1997 a 2013 (o qual por sua vez foi sucedido pelo bilionário americano-paquistanês Šahid Khan), o fundo de investimentos do Catar QSI (Qatar Sports Investiment) é o proprietário do Paris Saint Germain desde 2011, e desde então o CEO do QSI, Nasser Al-Khelaifi,  é o presidente do clube parisiense (o mesmo PSG que pagou o equivalente a R$ 821 milhões para contratar Neymar e quebrar a multa rescisória de seu contrato com o Barcelona). Entre tantos outros exemplos que podem muito bem ser citados. E como será que o Barcelona e o Real Madrid conseguem ter aqueles times galácticos mesmo com a Espanha estando naquela lastimável situação econômica? Do nada é que o clube madrilense e o clube catalão tiram dinheiro para isso. Como diz o ditado, onde há fumaça há fogo.
Tudo começou em 2011, quando Chuck Blazer, executivo americano e oficial da Concacaf, declarou-se culpado de 10 acusações criminais, entre elas lavagem de dinheiro e crimes envolvendo o imposto de renda. Tal declaração foi feita com o intuito de evitar uma acusação ainda mais grave de extorsão. Dois anos mais tarde, João Havelange e Ricardo Teixeira (então presidente da CBF) foram acusados de terem recibod subornos. O FBI alegou o uso de expedientes como subornos, fraudes e lavagem de dinheiro para corromper a emissão de meios de comunicação social e direitos de marketing para os jogos da FIFA no continente americano, cujo valor foi estimado em cerca de US$ 150 milhões. No ano seguinte, Ricardo Teixeira renunciou à presidência da CBF.
Em 2015 o Ministério Público Federal dos EUA divulgou a respeito de casos de corrupção da parte de funcionários e associados ligados à FIFA. Em maio daquele mesmo ano, 14 pessoas foram acusadas em uma investigação feita pelo FBI (Federal Bureau of Investigation[1]) e pelo IRS (International Revenue Service[2]) por fraude eletrônica, extorsão e lavagem de dinheiro. Ao mesmo tempo, o Procurador Geral dos EUA anunciou a retirada dos indiciamentos e confissões de culpa por quatro executivos de futebol e duas corporações.
As investigações tiveram como foco principal funcionários das instâncias continentais do futebol (entre elas a Conmebol e Concacaf), assim como executivos ligados ao marketing esportivo (os quais eram titulares de mídia e direitos de marketing para competições internacionais tais como as eliminatórias da Copa do Mundo, a Copa Ouro da Concacaf e a Copa América).
Durante a investigação do caso foram presos Jeffrey Webb (à época presidente da Concacaf e da Associação de Futebol das Ilhas Cayman), Eduardo Li (presidente da Federação Costarriquenha de Futebol), Eugenio Figueiredo (antigo membro da Associação Uruguaia de Futebol) e Nicolás Leoz (ex-presidente da Conmebol). Também foram presos sete funcionários da FIFA no Hotel Baur au Lac, em Zurique no dia 27 de maio de 2015, os quais se preparavam para participar do 65º Congresso da FIFA, onde ocorreu na época a eleição para presidente da entidade máxima que comanda o futebol a nível global. Igualmente tiveram lugar prisões na sede da Concacaf em Miami, na Austrália, na Colômbia, Costa Rica, Alemanha e Suíça. Ao todo 18 pessoas e duas empresas (o Traffic Group e o Traffic Sports EUA) foram indiciadas.
E onde que a Globo entra nessa história toda? Em depoimento à Justiça dos Estados Unidos feito no dia 14 de novembro de 2017, o empresário argentino Alejandro Burzaco, ex-diretor da empresa de eventos esportivos Torneos y Competencias (o qual desde 2015 está em prisão domiciliar), disse em junho de 2012 participou de um jantar em um restaurante de Buenos Aires com a presença de José Maria Marin (integrante da ARENA no período civil-militar e à época presidente da CBF), Marco Polo Del Nero (atual presidente da CBF) e Marcelo Campos Pinto (à época diretor da Rede Globo indicado para cuidar desse assunto). Na ocasião, segundo as palavras de Burzaco, foi acertado um pagamento de propina da parte da Rede Globo para assegurar o direito de exclusividade de transmissão de diversos campeonatos de futebol, entre eles o Campeonato Brasileiro, a Copa do Brasil, a Copa Libertadores da América, a Copa Sul-Americana, os Campeonatos Estaduais e outros (cujo valor não foi mencionado). O dinheiro da Rede Globo, segundo as palavras do empresário argentino, veio do ex-diretor Marcelo Campos Pinto para a T&T, braço na Holanda da empresa de Burzaco (que também negociava na época os direitos de transmissão das competições tanto na Argentina quanto em outros países sul-americanos) em associação com a Traffic, de J. Hawilla, e depois repassado para uma conta na Suíça do finado Julio Grondona (ex-presidente da AFA[3] e ex-vice-presidente da FIFA), responsável por cuidar dos direitos de transmissão para a América Latina. A propina, por seu turno, antes era destinada a Ricardo Teixeira e na ocasião foi combinada uma divisão entre Marin e Del Nero. Buzarco afirmou a uma juíza dos EUA que outras emissoras além da Globo pagaram por tais direitos de transmissão (entre elas a Fox Sports e a Televisa).

Foto – Alejandro Buzarco.
Outro delator do esquema acusou a Globo de pagar US$ 15 milhões (cerca de R$ 50 milhões) para garantir a exclusividade da transmissão das Copas de 2026 e 2030 (cujas sedes ainda não foram definidas até agora). Tais acusações foram negadas pela emissora da família Marinho, que por sua vez afirmou que “não é parte nos processos que correm na Justiça americana”.
Dias mais tarde, Garotinho postou o já citado vídeo, onde ele fala entre outras coisas, que Cristina Maris Meinick Ribeiro, funcionária da Receita Federal, foi condenada pela Justiça Federal do Rio de Janeiro por sumir com os processos movidos pela mesma Receita Federal contra a Globopar (empresa controladora das organizações Globo). Um desses processos cobrava da empresa um valor superior a R$ 600 milhões por sonegação de impostos na compra dos direitos de exibição da Copa do Mundo de 2006 e que há documentos que afirmam que a emissora da família Marinho, para não recolher os impostos na fonte, abriu a Empire, uma empresa de fachada situada no paraíso fiscal ilhas Virgens Britânicas. Um ano mais tarde a empresa seria dissolvida e seu patrimônio utilizado pela Vênus Platinada para a compra dos direitos de exibição da Copa do Mundo de 2006. Nesse mesmo ano a investigação da Globopar foi encerrada e o delegado responsável pela investigação, Alberto Sodré Zile, chegou à conclusão de que a Globo tinha que pagar R$ 183 milhões em impostos, R$ 157 milhões em juros e R$ 274 milhões em multa.
A Rede Globo recorreu junto à Delegacia da Receita Federal após o fim da investigação. Entretanto, a relatora do pedido da Rede Globo, Maria de Lourdes de Marques Dias, indeferiu recurso sob a alegação de que o conjunto de operações investigado pela Receita Federal comprovava a sonegação de impostos e que tais impostos, juros e multa deveriam ser pagos pela Vênus Platinada. Segundo as palavras de Garotinho no vídeo em questão, não se sabe o que aconteceu com esse processo, pois sempre quando uma busca no site da Receita Federal era feita com os nomes do processo lá era dito que o processo está em trânsito. E assim ninguém achava o processo. Ainda segundo o ex-governador do estado do Rio de Janeiro e ex-pedetista, o que aconteceu foi que a já mencionada Cristina Maris Meinick Ribeiro foi condenada por ter sumido com os processos da TV Globo (que diziam respeito à sonegação fiscal da emissora da família Marinho), segundo sentença datada de 23 de janeiro de 2013, com o sumiço de tais processos tendo ocorrido em dois de janeiro de 2007 e tendo sido filmado pelas câmaras de segurança da Receita Federal. Em 12 de junho de 2007 Cristina Ribeiro teve sua prisão preventiva decretada, tendo recebido em 12 de setembro do mesmo ano habeas corpus. Posteriormente, foi julgada e condenada a quatro anos e 11 meses de prisão pelo sumiço dos já citados documentos da Receita Federal.
Esses delatores, segundo as palavras de Garotinho, fizeram suas denúncias com base em provas e não em ilações e convicções. Garotinho (que no vídeo em questão queixou-se das notícias veiculadas a seu respeito no noticiário da TV Globo) também disse que a Globo e qualquer outra emissora de televisão, por serem concessões federais, não pode se achar acima do bem e do mal.
Como o próprio Garotinho diz no começo do vídeo em questão, “A Globo não pode ficar agora como já passou em outras épocas impune diante desta denúncia que desmoraliza o Brasil internacionalmente”. Estarrece-me muito ver os jornais da Rede Globo cobrindo escândalos de corrupção (em especial quando estes são direcionados contra políticos e partidos de esquerda como o PT e empresas como a Petrobrás e a Odebrecht) se comportando como se não estivesse envolvida em toda sorte de falcatruas, esquemas e trambiques tais como sonegação fiscal, contas em paraísos fiscais e Fifagate. Ou seja, como se fosse a virgem do cabaré. Rindo das nossas caras enquanto Lula, José Dirceu e outros tantos apodrecem nas masmorras da igualmente corrupta camarilha de Curitiba ou então sofrem nas mãos do lawfare promovido por essa mesma gente. Os verdadeiros corruptos fazem sua festa enquanto os peões são sacrificados como bois de piranha.


Foto – Anthony Garotinho.
Fontes:
A prova definitiva contra a Rede Globo. Por Anthony Garotinho. Disponível em: https://www.diariodocentrodomundo.com.br/prova-definitiva-contra-globo-por-anthony-garotinho/
Caso de Corrupção na FIFA em 2015. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_de_corrup%C3%A7%C3%A3o_na_FIFA_em_2015
Como o processo de sonegação fiscal da Globo sumiu da receita e sobreviveu no submundo do crime. Disponível em: https://www.diariodocentrodomundo.com.br/como-o-processo-de-sonegacao-da-globo-sumiu-da-receita-e-sobreviveu-no-submundo-do-crime-por-joaquim-de-carvalho/
Corrupção e propina no futebol uniram Globo, Marin e Del Nero, diz delator. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/11/15/politica/1510763200_510957.html
“Copa é negócio, futebol é negócio, não se iluda!” Kajuru. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=KPi4Zu_t0dE&ab_channel=CanalVpV
FIFAGATE: Ex-governador Anthony Garotinho detona a Rede Globo! Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=_TRRc1CrFx8&ab_channel=FernandoAndrade
Fifa GATE: ¿Quiénes son los nuevos apuntados por la Justicia en el escándalo más grande de la historia del fútbol? (em espanhol). Disponível em: https://www.infobae.com/2015/12/03/1774096-fifa-gate-quienes-son-los-nuevos-apuntados-la-justicia-el-escandalo-mas-grande-la-historia-del-futbol/
Funcionária da Receita Federal foi condenada por sumir com processo contra a Globopar. Disponível em: https://www.revistaforum.com.br/funcionaria-da-receita-federal-foi-condenada-por-sumir-com-processo-contra-a-globopar/
Globo é citada 14 vezes por delator do Fifagate; leia o documento. Disponível em: https://esportes.r7.com/futebol/globo-e-citada-14-vezes-por-delator-do-fifagate-leia-o-documento-17112017
Rede Globo está envolvida em esquema de corrupção bilionário da FIFA, diz delator. Disponível em: https://www.portaltvcariri.com.br/rede-globo-esta-envolvida-em-esquema-de-corrupcao-bilionario-da-fifa-diz-delator/

NOTAS:


[1] Escritório Federal de Investigação.
[2] Serviço Internacional de fisco.
[3] Asociación del Fútbol Argentino (Associação do Futebol Argentino).

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Eu acuso! (J'accuse!)



Foto – “J’Accuse...! – Lettre au Président de la République, par Émile Zola (Eu acuso...! Carta ao Presidente da República, por Émile Zola)’’
Em 1894 teve início o caso Dreyfus na França. Tal escândalo dividiu a França no último decênio do século XIX e centrou-se na condenação por alta traição do oficial de artilharia do exército francês Alfred Dreyfus (de origem judaica) com base em um processo conduzido à portas fechadas por entrega de segredos militares franceses à Alemanha. Posteriormente, descobriu-se que Dreyfus (que foi condenado à prisão perpétua na ilha do Diabo [região costeira da Guiana Francesa], sendo de lá solto e reabilitado apenas em 1906) era inocente e que as tais provas de sua culpa eram baseadas em documentos falsos.
O caso Lula, em minha humilde opinião, entrará para a história como o equivalente tupiniquim do que foi o caso Dreyfus para a história da França. Da mesma forma que hoje em dia o Brasil está dividido entre aqueles que querem a prisão de Lula (em especial os coxinhas da classe média que apoiam a Lava Jato e suas arbitrariedades em nome de um fictício combate à corrupção) e aqueles que são contra a prisão do ex-presidente, na época a França estava dividida entre os dreyfusards (apoiadores de Dreyfus) e os anti-dreyfusards (detratores de Dreyfus). Tal caso também foi marcado por uma forte de antissemitismo, já que Dreyfus era judeu.
Em 1897 um segundo julgamento foi feito após Mathieu Dreyfus, irmão de Alfred Dreyfus, descobrir que o verdadeiro culpado era Charles Esterhazy. Entretanto, a pena de Dreyfus não foi revista. Diante dessa situação o escritor francês Émile Zola, indignado com essa situação, publicou uma carta aberta ao então Presidente da França, Félix Faure, no jornal literário L’Aurore, intitulada J’accuse! (Eu acuso!) em 13 de janeiro de 1898. Nessa carta Zola, se apoiando no trabalho de Georges Picquart (chefe do serviço secreto francês) que chegou a conclusão de que os documentos contra Dreyfus foram falsificados, denunciou o Alto Comando Militar francês, os tribunais e todos aqueles que condenaram Dreyfus.
Pelos recentes ocorridos de violência (que um dia pode desembocar em uma situação de guerra civil, similar ao que se passa hoje em dia em países como a Líbia, a Síria, a Ucrânia e a Venezuela), entre eles o atentado à caravana de Lula e os tiros ao acampamento Marisa Letícia em Curitiba, eu, inspirado na famosa carta de Émile Zola, acuso as seguintes pessoas:
Rede Globo – Acuso a Rede Globo como a grande responsável por toda essa situação que o país vivencia. Como é sabido por todos nós, a emissora da família Marinho tem todo um histórico de guerra midiático-informativa contra governos populares que remonta ao segundo governo Vargas e que perpassa por JK, Jango e Brizola (quando o político gaúcho era governador do Rio de Janeiro) e chega aos dias de hoje com Lula e Dilma. A seguinte frase, dita por Joseph Pulitzer no século retrasado, resume bem o papel da Rede Globo nisso tudo exerce: “Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil quanto ela mesma”. Será que no fundo a Rede Globo tem é receio de vir a ter o mesmo destino que a RCTV teve na Venezuela há 11 anos (a mesma RCTV que foi a grande organizadora do fracassado golpe de 2002 contra o comandante Chávez) caso Lula seja eleito, tendo em vista que a concessão da emissora dos Marinho termina em 31/12/2018?
Juiz Sérgio Moro – Acuso o Juiz Sérgio Moro e a Operação Lava Jato, seus procuradores, juízes e operadores não só pelo clima de ódio que ajudou a criar no país em conluio com a Vênus Platinada como também pelo clima que punitivismo que ele, Brêtas, Dallagnol e companhia limitada injetaram na população, a ponto de pensarem que tudo vale para supostamente combater a corrupção, incluindo até mesmo passar por cima da Constituição Federal e dela fazer pouco caso, como se fosse um mero compêndio de leis e tratados. A tal ponto que quando o STF quer colocar uma rédea curta nas ações da Lava Jato e fazer com que a Constituição seja obedecida seus apoiadores acharem que é sinônimo de impunidade. Um dia espero vê-los sendo julgados em uma Comissão da Verdade sobre a Lava Jato.
Jair Bolsonaro – Eu acuso Jair Bolsonaro por tais ocorridos, mas não por causa de sua retórica truculenta ou por ter apoiado o golpe de 2016. O acuso por sua miopia política e péssima leitura da situação que o país vivencia. Bolsonaro mal se dá conta de que ele pode muito bem ser o próximo a ser vítima desse estado judicial-policial-midiático que tomou conta do país desde que Dilma Rousseff foi deposta naquele impeachment fraudulento. Dilma Rousseff não foi apeada do poder pela articulação PSDB-PMDB para depois o poder ser entregue de mão beijada a um operário como o Lula e muito menos a um forasteiro como o Bolsonaro. O que essa gente quer é seus representantes orgânicos (ou seja, figuras tipo Serra, Alckmin, Temer e políticos afins) na Presidência da República, não operários ou forasteiros do sistema. Tivesse ele pelo menos um pouco de bom estaria agora defendendo o Estado de direito e as leis do país, estaria defendendo a liberdade de Lula a despeito de suas discordâncias ideológicas e não dando apoio a essa farsa toda. Bolsonaro, você que se cuide, que daqui a pouco a cobra que picou o Lula fará o mesmo contigo. Não duvido nem um pouco que possam usar esse episódio do atentado ao acampamento Marisa Letícia (assim como outros anteriores em que teu nome está envolvido) para te fritar e te colocar fora do páreo. Como também não descarto a possibilidade de que tal atentado possa ter sido uma operação de falsa bandeira perpetrada por essa gente que te quer ver fora do páreo justamente para te fritar e queimar teu filme perante a população.
Manifestoches – Acuso vocês, manifestoches, que desde as manifestações de junho de 2013 vêm abrindo a caixa de Pandora de uma futura guerra civil que possa vir a flagelar o país que talvez se arraste por muitos anos, tal como os manifestoches da Primavera Árabe e do Euromaidan na Ucrânia ajudaram a fazer em seus respectivos países. Haja vista que a guerra civil na Síria já se arrasta por sete longos anos e que suas raízes remontam à Primavera Árabe, assim como a situação de falência da autoridade do poder central que a Líbia vivencia desde a queda e morte do coronel Kadaffi em 2011 (que também começou dentro do contexto da Primavera Árabe), a guerra civil que a Venezuela vivencia desde a morte do comandante Chávez (alimentada em grande medida pela queda dos preços do petróleo no mercado internacional e a guerra econômica promovida pelos donos do poder econômico local, similar ao que foi feito no Chile durante o governo Allende) e a guerra civil que a Ucrânia vivencia desde o Euromaidan (que em realidade não foi mais que uma briga entre oligarcas).
Vocês, que jogam confetes ao Sérgio Moro e acham que a Lava Jato está combatendo a corrupção (sendo que ela, tal qual a Operação Mãos Limpas na Itália, apenas está ajudando a corrupção a se sofisticar ainda mais). Vocês, que vaiaram a Dilma no jogo de abertura da Copa do Mundo 2014 em pleno Itaquerão, chamaram o José Trajano de “vendido” em pleno Itaquerão após o fim do jogo Uruguai 2 x 1 Inglaterra e ficaram furiosos com o Juca Kfouri depois que ele falou que foi uma “elite branca” que vaiou a presidente Dilma no jogo em questão. Vocês, que bateram panelas toda vez que tinha horário político do PT e pronunciamento da Dilma. Vocês, que foram para as ruas com a camisa da seleção brasileira (que carrega o símbolo da corrupta CBF, que há anos vem arruinando com o futebol brasileiro) pedirem intervenção militar e prestaram apoio ao Sérgio Moro e a Lava Jato, mal sabendo do quão sujo essa gente é e que a Lava Jato só existe porque a chamada “elite do dinheiro” assim deseja (e o que ela está fazendo em realidade é combater aquilo que Jessé Souza chama de a “corrupção dos tolos” para reforçar e fortalecer a real corrupção, que envolve justamente a intermediação financeira. Fazendo uma analogia com o xadrez, é o mesmo que sacrificar os peões para fortalecer o rei e a rainha). Vocês, que apoiaram o impeachment fraudulento de Dilma Rousseff e ajudaram a colocar a quadrilha que agora está no poder. Vocês, que festejaram com fogos de artifício primeiro a condenação no TRF4 e depois a prisão do Lula, sem se dar conta de que aquilo tudo é um jogo de cartas marcadas. Vocês são a prova viva de que o Brasil é um país onde as pessoas são criadas não para serem cidadãs, e sim telespectadoras e que a frase dita por Pulitzer e citada anteriormente continua atualíssima. Vocês são um bando de analfabetos políticos.
Polícia Federal – O que será que a Polícia Federal está fazendo para conter toda essa onda de truculência direitista contra aqueles que se manifestam a favor da liberdade de Lula? Ou será que a Polícia (ou ao menos setores expressivos dela) também não está envolvida nessa conspiração toda? Ao que tudo indica, o Brasil está vivendo no presente momento seu período de distúrbios, similar ao que a Rússia vivenciou entre 1598 a 1613.
Fontes:
Carta de Émile Zola sobre o caso Dreyfus. Disponível em: http://www.omarrare.uerj.br/numero12/pdfs/emile.pdf
Caso Dreyfus. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_Dreyfus
Jessé Souza: a Lava Jato só existe porque a elite financeira quer. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=HZTvc4dqKi8&ab_channel=TV247
Motivos não faltam para a concessão da Globo ser cassada. Disponível em:

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Cinco coisas que me enojam a respeito do caso Lula.



Foto: “Há casos em que a sentença já está escrita antes do crime” – José Saramago (1922 – 2010) em “Ensaio sobre a lucidez”.
Na semana passada Luís Ignácio Lula da Silva foi preso por ordem do Judge Murrow e levado à Curitiba, onde se encontra confinado em uma solitária. Dessa vez não vou me alongar muito em considerações a respeito do caso em si. Ao invés disso, falarei a respeito do que mais me enoja e ferve de raiva o meu sangue a respeito não só do caso em si como também de toda a repercussão que ele gerou.
1 – O fato de Lula estar sendo condenado por causa de um tríplex que é de propriedade da OAS e de que não há provas contra o ex-presidente. Em outras palavras, o que há contra Lula é um jogo político daqueles que temem sofrer mais uma derrota nas urnas, não combate à corrupção.
2 – Certas pessoas, especialmente da classe média de Miami (ou seja, aqueles mesmos que fazem de tempos em tempos passeatas de apoio ao Judge Murrow pedindo a prisão de Lula) não se darem conta de todo esse jogo político que houve nesse processo todo que começa na Operação Lava Jato e no impeachment de Dilma e que desemboca nas acusações contra Lula. Até por que corrupção, por si só, não derruba governo algum. Não derrubaram Berlusconi na Itália só por causa de Rubygate e Bunga-Bunga e não derrubaram e prenderam Park Geun-Hye na Coréia do Sul só por causa de Rasputina. E não estão processando Cristina Kirchner na Argentina só por causa de AMIA e acordos com o Irã e Rafael Correa por causa de problemas com dívida, entre tantos outros casos que aqui podemos citar. Percebendo tal fato durante o impeachment contra Collor, Leonel Brizola se posicionou contrário, vendo que isso abriria um perigoso precedente para que tal artifício fosse utilizado a serviço de políticos venais em futuras brigas de poder para perpetrar golpes de Estado contra aqueles que não são de seu agrado. E foi justamente isso que se viu duas décadas e meia depois no impeachment de Dilma Rousseff. Em outras palavras, a raiz profunda do impeachment de Dilma está no impeachment de Collor.
3 – Os manifestoches irem às ruas achando que estão exercendo um papel revolucionário, sendo que em realidade não estão mais que exercendo seu ridículo e insignificante papel de capatazes da classe dominante com qual eles se identificam e que estão sendo feitos de imbecis. Nada mais que isso. Tais manifestoches não raro vão às ruas trajando a camisa da seleção brasileira (que carrega o símbolo da nefasta CBF) e vestem camisas com os dizeres “Somos todos Moro” e/ou “eu apoio a Lava Jato”.

Foto: Minha carinhosa homenagem àqueles que vestem camisas e colam em seus carros adesivos com os dizeres “somos todos Moro” e “Eu apoio a Lava Jato”.
4 – E não apenas isso, como também comemorarem o infortúnio de Lula com passeatas e fogueteiro (isso para não falar da comemoração no prostíbulo paulistano Bahamas). O mais grave de tudo é que se trata de sujeitos, obviamente lobotomizados pela venal imprensa que o Brasil tem, que não raro se dizem cristãos e vão à Igreja confessar seus pecados, mas que não tem o menor pudor em isso fazer com um desafeto político. Desafeto político esse que com suas políticas sociais ousou tocar nos vespeiros da sociedade brasileira, moldada pela escravidão até hoje. Nas redes sociais vi algumas figuras favoráveis a Jair Bolsonaro (entre elas Nando Moura e Rogério Betin) comemorando o infortúnio de Lula. Eu só espero que eles e tantos outros partidários do político carioca que agora estão comemorando o infortúnio de Lula não fiquem de mimimi e chororó caso a cobra que hoje pica Lula resolva em breve fazer o mesmo com Bolsonaro (em recente vídeo postado no International Post Research Robert Rams disse que depois de Lula a Globo fará o mesmo com Bolsonaro. E a canalha que deu o golpe em Dilma Rousseff não vai entregar o poder de mão beijada para um operário como Lula e muito menos para um forasteiro como Jair Bolsonaro. A elite brasileira, do alto de seu pendor escravocrata, quer é seus representantes orgânicos no poder e nada mais, para que eles façam as políticas de arrocho fiscal e austeridade que eles exigem). Isso não para não falar do analfabetismo político destilado por Felipe Neto em mensagens postadas no Twitter (o qual em uma dessas mensagens afirmou estar dançando). Só falta daqui a pouco matarem o homem na prisão tal como fizeram com Muammar al-Kadaffi e essa gente comemorar de novo com fogos de artifício e passeatas.
5 – E o pior de tudo, a cereja do bolo: ver Lula sendo preso nesse espetáculo deprimente enquanto que seus algozes (em especial a Rede Globo e os juízes fura-teto da própria Lava Jato), que são envolvidos em tudo quanto é tipo de falcatrua (a exemplo do Fifagate e das denúncias feitas por Tacla Duran a respeito das falcatruas da Lava Jato), posarem de as impolutas virgens do cabaré perante nós, rindo das nossas caras e saindo por cima. Além do fato de o juiz que ordenou a prisão de Lula se tratar do mesmo juiz que há mais de 10 anos arquivou o caso Banestado. No fim essa história de estão combatendo a corrupção não passa de uma grande mentira para enganar trouxa e fazer politicagem.

Foto: “Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma” – Joseph Pulitzer (1847 – 1911).
Fontes:
Felipe Neto sofre hate após comemorar prisão de Lula. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=OYvTtpGYhTo&ab_channel=TretaNews
Se Lula perder hoje, 4 de abril, o que vai acontecer? Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=dmk4_ZfWn2Y&ab_channel=InternationalPostResearchOk